domingo, 26 de março de 2017

Educação como prática da Liberdade



A CORAGEM DE COMUNGAR (E PUBLICAR) IDEIAS
DE PESSOAS NÃO ACEITAS PELAS “ACADEMIAS”

Quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é ser o opressor.

O erro, na verdade, não é ter um certo ponto de vista, mas absolutizá-lo e desconhecer que, mesmo do acerto de seu ponto de vista é possível que a razão ética nem sempre esteja com ele.

Não há saber mais ou menos: há saberes diferenciado.

A alegria não chega apenas no encontro do achado, mas faz parte do processo da busca. E ensinar e aprender não pode dar-se fora da procura, fora da boniteza e da alegria.

Gosto de ser gente porque, inacabado, sei que sou um ser condicionado, mas, consciente do inacabamento, sei que posso ir mais além dele. Esta é a diferença profunda entre o ser condicionado e o ser determinado. A diferença entre o inacabado que não se sabe como tal e o inacabado que histórica e socialmente alcançou a possibilidade de saber-se inacabado.

Eu sou um intelectual que não tem medo de ser amoroso. Amo as gentes e amo o mundo. E é porque amo as pessoas e amo o mundo que eu brigo para que a justiça social se implante antes da caridade.

Ninguém ignora tudo. Ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa. Todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre.

A humildade exprime uma das raras certezas de que estou certo: a de que ninguém é superior a ninguém.

Ai daqueles que pararem com sua capacidade de sonhar, de invejar sua coragem de anunciar e denunciar. Ai daqueles que, em lugar de visitar de vez em quando o amanhã pelo profundo engajamento com o hoje, com o aqui e o agora, se atrelarem a um passado de exploração e de rotina.

a educação tem a função de libertar, de abrir a mente, de conscientizar e fazer com que as pessoas reflitam sobre suas ações e tomem seu lugar de protagonistas de suas próprias histórias.

Amar é um ato de coragem.

Paulo Freire


sábado, 25 de março de 2017

E A NOITE FOI DE PREMIAÇÃO – CINEMA EM SINOP


FESTIVAL DE CURTA METRAGEM DO MATO GROSSO
PREMIAÇÃO POLO SINOP


DIA 24 DE MARÇO DE 2017
19 HORAS
NA ESCOLA DE ARTES DE SINOP VIVIANE MARIA MALHEIROS DALBERTO


A noite foi de entrega dos troféus aos vencedores do festival de curta-metragem do Mato Grosso, realizado em Primavera do Leste, Mato Grosso, entre os dias 13 a 16 de março deste ano.

Parabéns a todos os envolvidos que contribuíram para que o resultado fosse esse: 22 indicações e 7 prêmios, entre eles os maiores do festival – Melhor Filme júri popular e Melhor Filme júri técnico.
 
Os filmes que participaram do festival são produto do Projeto Cinema no Mato. Uma realização do Instituto Equipav, por meio da Lei Rouanet do Ministério da Cultura e produção do Instituto 3 Apitos Esporte + Cultura. O patrocinador desse projeto é Nascentes do Xingu e teve o apoio das Secretarias de Educação e Cultura dos municípios mato-grossenses participantes: Primavera do Leste, Poconé, Barra do Garças e Sinop.

O projeto em Sinop contou com o apoio da Secretaria da Diversidade Cultural à época e  Águas de Sinop e com a Coordenação da professora, palestrante e escritora Leni Chiarello Ziliotto. 

Os curtas foram produzidos por jovens de 14 a 19 anos, alunos de escolas públicas, que receberam aulas sobre meio ambiente e sobre todo o processo da produção fílmica, ministradas pelos professores Leni Chiarello Ziliotto e Matheus Prado. 

Os filmes “A Decisão Foi Sua” de Sinop e “CauliFlora” de Primavera do Leste, são os grandes vencedores na categoria de melhor filme pelo júri técnico. A escolha do público concedeu ao “Enquanto Houver Vida” de Sinop o prêmio de melhor vídeo produzido pelos alunos do projeto.

Essa noite, em Sinop, a alegria tomou conta dos alunos que receberam os troféus conquistados no I Festival de Curtas de Mato Grosso. A cerimônia foi conduzida por Ana Turra.

Antes da premiação, fizeram uso da palavra:

- Marli Volpato - Diretora da Escola de Artes de Sinop Viviane Maria Dalberto Malheiros.
- Helida Parente - Assistente Social da Águas de Sinop.
- Veridiana Paganotti - Secretária de Educação, Esporte e Cultura Municipal de Sinop.
- Leni Chiarello Ziliotto - Coordenadora e professora do projeto Cinema no mato em Sinop.

Diretores dos curtas produzidos em Sinop:

Filme A DECISÃO FOI SUA – Diretora Débora Vitória das Neves Ribeiro
Filme A BUSCA – Diretora Ílary Mauanny dos Santos Marasini
Filme ENQUANTO HOUVER VIDA – Diretores Kiara Baco Anhon e Gabriel Buriola Perez

Troféus entregues a:

A BUSCA
Diretor de Fotografia - Winy ZaninMelhor

ENQUANTO HOUVER VIDA
Diretor de Som - Eduardo Ribeiro Santos
Atriz Coadjuvante - Rayane dos Santos e Raynara dos Santos
Melhor filme pelo júri popular - Diretores - Kiara Baco Anhon e Gabriel Buriola Perez

A DECISÃO FOI SUA
Continuísta - Larissa Gonçalves de Oliveira
Atriz - Júlia Kessili
Melhor filme pelo júri técnico - Diretora - Débora Vitória das Neves Ribeiro

Após a premiação, os presentes assistiram aos três curtas premiados. 
















terça-feira, 21 de março de 2017

CONVITE



EVENTO
Premiação aos vencedores do FESTIVAL DE CURTA METRAGEM DE MATO GROSSO do Polo de Sinop.

DATA
Dia 24 de março de 2017.

HORA
Início às 19 horas.

LOCAL
Escola de Artes – Rua das Primaveras, 4667.

PROGRAMAÇÃO
Recepção.
 Exibição dos três filmes de curta metragem produzidos por alunos de escolas públicas de Sinop e que participaram do Projeto Cinema no Mato
Premiação dos vencedores
Exibição de curta metragem de outro polo, também premiado


PREMIAÇÃO POLO SINOP

Curta metragem A BUSCA
            4 indicações
            1 prêmio

Curta metragem ENQUANTO HOUVER VIDA
            3 indicações
            3 prêmios, incluindo MELHOR FILME pelo Júri Popular

Curta metragem A DECISÃO FOI SUA
            15 indicações
            3 prêmios, incluindo MELHOR FILME do Festival pelo júri técnico (jurados)



Leni Chiarello Ziliotto
Coordenação Polo Sinop




FESTIVAL DE CURTA METRAGEM DO MATO GROSSO – PREMIAÇÃO


Projeto Cinema no Mato
Realização – Instituto Equipav, por meio da Lei Rouanet do Ministério da Cultura
Produção – 3 Apitos Esporte + Cultura
Patrocínio – Nascentes do Xingu
Apoio – Secretarias de Educação e Cultura dos municípios
Coordenação Polo Sinop – Leni Chiarello Ziliotto
Outros polos: Primavera do Leste, Barra do Garças e Poconé
Os curta metragem foram produzidos por jovens de 14 a 19 anos, alunos de escolas públicas, que receberam aulas sobre todo o processo da produção fílmica.  

Filmes produzidos pelos alunos do polo de Sinop:

A BUSCA – 4 indicações e 1 prêmio
      1.      Melhor iluminação  - Vencedor (GreenMan – Primavera do Leste) 
      2.      Melhor edição – Vencedor (A cilada – Poconé)
      3.      Melhor edição e mixagem de som – Vencedor (O dia da caça – Barra do Garças) 
      4.      Melhor fotografia – Vencedor – Sinop

ENQUANTO HOUVER VIDA – 3 indicações e 3 prêmios
1.      Melhor trilha sonora – Vencedor – Sinop
      2.      Melhor atriz Coadjuvante – Vencedor – Sinop
      3.      Melhor filme Júri Popular – Vencedor  – Sinop

Mais bem votados (ordem alfabética):
Cauliflora - Primavera do Leste
Enquanto Houver Vida – Sinop – Vencedor
Martin - Primavera do Leste

A DECISÃO FOI SUA – 15 indicações e 3 prêmios
      1.      Melhor adequação ao tema – Vencedor (O dia da caça – Barra do Garças)
      2.      Melhor personagem – Vencedor (O curioso mundo de Layla – Primavera do Leste)
      3.      Melhor diálogo – Vencedor (Flores em vida – Primavera d o Leste)
      4.      Melhor direção – Vencedor (Flores em vida – Primavera d o Leste)
      5.      Melhor decupagem – Vencedor (A cilada – Poconé)
      6.      Melhor fotografia – Vencedor (A Busca – Sinop)
      7.      Melhor iluminação – Vencedor (GreenMan – Primavera do Leste) 
      8.      Melhor maquiagem – Vencedor (Lendas do Rio – Barra do Garças)
      9.      Melhor figurino – Vencedor (Os visitantes – Barra do Garças)
     10.  Melhor edição – Vencedor (A cilada – Poconé)    
     11.  Melhor captação de som – Vencedor (CauliFlora – Primavera do Leste)
     12.  Melhor atriz Coadjuvante – Vencedor (Enquanto houver vida – Sinop)
     13.  Melhor continuidade – Vencedor – Sinop
     14.  Melhor atriz – Vencedor – Sinop
     15.  Melhor filme Júri Técnico – Vencedor – Sinop

Indicados para MELHOR FILME júri técnico
A Decisão Foi Sua
Os Visitantes
Lendas do Rio
CauliFlora

     Vencedores
A Decisão foi sua e CauliFlora







Encerramento do I Festival de Curtas do MT exibe vídeos premiados do projeto cultural Cinema no Mato


O público se despediu do I Festival de Curtas do Mato Grosso na última semana, em cerimônia especial, realizada na cidade de Primavera do Leste, na Praça Matriz, A solenidade contou com a exibição de todos os curtas-metragens produzidos pelos alunos que integram o projeto cultural Cinema no Mato nos polos de Primavera do Leste, Sinop, Poconé e Barra do Garças, além da premiação dos melhores trabalhos, conforme a avaliação do júri popular e de jurados especializados.

Os curtas-metragens “CauliFlora” de Primavera do Leste e a “Decisão Foi Sua” de Sinop, são os grandes vencedores na categoria de melhor filme pelo júri técnico. A escolha do público concedeu ao “Enquanto Houver Vida” de Sinop o prêmio de melhor vídeo produzido pelos alunos do projeto. Os roteiros, gravações e edição foram feitos pelos próprios alunos, que tiveram a oportunidade de ter um curta-metragem gravado e com grande qualidade de imagem. O resultado é uma ação de fortalecimento do protagonismo jovem na sociedade, que reverbera nas escolas e nos bairros, promove o audiovisual e coloca a comunidade para discutir os problemas locais e globais relacionados à natureza e sua preservação.

O projeto, realizado pelo Instituto Equipav, por meio da Lei Rouanet do Ministério da Cultura, produção da 3 Apitos Esporte + Cultura, patrocinado pelas concessionárias de água e esgoto administradas pela Nascentes do Xingu com o apoio das Secretarias de Educação e Cultura dos municípios, atendeu mais de 200 jovens de 14 a 19 anos de escolas públicas. Eles receberam aulas de edição de vídeo, manuseio de equipamentos cinematográficos, interpretação, filmagem, direção de arte, fotografia, construção de roteiro, produção e desenvolvimento de curtas-metragens de ficção.

Durante o curso, os alunos se dedicaram na produção dos curtas com a orientação dos tutores. Todos os vídeos trazem a temática ambiental, com abordagem a assuntos como o depósito de lixo, desperdício de água, poluição de rios, desmatamento, queimada, doenças de veiculação hídrica, crime ambiental e escassez da água. Para enriquecer os roteiros, outros temas foram adicionados ao enredo, entre eles a vingança, drogas, relações homoafetivas e as crendices populares.

De acordo com o coordenador do Cinema no Mato em Primavera do Leste e secretário de Cultura, Wanderson Lana, desenvolver projetos audiovisuais com temas relacionados ao meio ambiente proporcionou aos jovens a oportunidade de tornarem protagonistas de suas comunidades. “Foi incrível fazer parte desse projeto, só tenho a agradecer aos alunos que se dedicaram e ao Instituto Equipav por escolher Primavera do Leste como uns dos polos do projeto Cinema no Mato. Sabemos que quando a inciativa privada se une ao poder público coisas incríveis acontecem e este é um dos exemplos. Esperamos ansiosamente pelas próximas edições”, destacou.

O gestor da Águas de Primavera, Danilo Almeida, agradeceu a todas as pessoas que colaboraram para a realização do Cinema no Mato nos polos, aos apoiadores culturais e, em especial, aos professores e estudantes que tornaram esse projeto viável. “Foi uma experiência enriquecedora, que investiu no potencial dos jovens, garantindo ainda mais oportunidade de aprendizado e empoderamento dos estudantes. Aproveito a oportunidade para compartilhar o agradecimento do Instituto Equipav, que muito orgulho da realização do Cinema no Mato e espera que esses jovens possam fortalecer o debate sobre a preservação do meio ambiente, estimulando iniciativas em prol de mudanças positivas em Mato Grosso”, destacou.

Todos os curtas-metragens produzidos pelos alunos do Cinema no Mato nos polos serão disponibilizados no site http://cinemanomato.com.br.

Fonte: http://www.nascentesdoxingu.com.br/2017/03/20/encerramento-do-i-festival-de-curtas-do-mt-exibe-videos-premiados-do-projeto-cultural-cinema-no-mato/

sábado, 11 de março de 2017

GUAPORENSE É A MAIS NOVA IMORTAL DA ACADEMINA SINOPENSE DE CIÊNCIAS E LETRAS (ASCL)



Leni Chiarello Ziliotto é natural de Guaporé-RS. Residiu em Passo Fundo- RS, em Serafina Corrêa-RS e em Nova Mutum-MT. Atualmente reside em Sinop-MT. Como profissional semeou para colher satisfação pela semeadura, para apreciar a floração, e da frutificação provar, sorver o sumo que alegra a consciência de quem fez um bom trabalho. Semeou cultura, inovações na educação, conhecimento.
Muito contribuiu para a sociedade em todos os lugares onde atuou. Mais especificamente em Guaporé e Serafina Correa, à frente da educação pública, se destacou no magistério e na gestão da educação com profissionalismo, ética, competência e amorosidade.

Não menos que isso, na condição de sócia proprietária da Escola Brancca Maria, fez a diferença na vida de muitas pessoas, não apenas em Guaporé e Serafina Corrêa, como também, em Muçum, Encantado, Dois Lageados, União da Serra, Montauri, Casca, Vila Maria, Paraí, Nova Aração, Nova Prata, Nova Bassano, Veranópilos, São Jorge, Vanini, São Domingos, David Canabarro, Cicíaco, Água Santa e outros, realizando o sonho do diploma universitário e da certificação em pós graduação, o que, além de elevar a autoestima, favorece para a valorização profissional.

Dinamismo e liderança são as palavras que mais definem essa guaporense que continua sua trajetória de agente social ético e para a cidadania em terras mato-grossenses. Atuou na educação e na cultura do município de Nova Mutum e atualmente no município de Sinop, no norte do estado.

Possui formação acadêmica em: Doutoranda em Epistemologia e História da Ciência (UNTREF – Argentina); Mestre em Gestão e Auditoria Ambiental (LEÓN – Espanha); Especialista em Supervisão Escolar (PUC/RS); Especialista em Educação Ambiental (UCB/RJ); Especialista em Educação a Distância (SENAC/RS); Graduada em Ciências Exatas e em Biologia (UPF/RS).

Mas, falar de Leni sem falar de literatura, sem falar de poesia, seria como falar de escola sem falar de aluno. Leni escreve poemas desde seus 12 anos de idade, publicando sua primeira obra em 2001, na Jornada de Literatura de Passo Fundo: Metamorfose, livro de poemas traduzido para o italiano, Metamorfosi.

Sua trajetória na literatura registra as seguintes publicações e participações:

Produção independente: Metamorfose/Metamorfosi (2001); Mosaico de Palavras (2004); Sonhos Vividos (2005); Amor meu sol (2006); Sabores (2008); Mosaico de Palavras  (2ª edição 2010); Carolina fechou uma porta (1ª edição 2011); Carolina fechou uma porta (2ª edição 2012); Carolina fechou uma porta (3ª edição 2012); Carolina Conectada (2013); O Brilho de Estrelas Imortais (2014); As Cores e os Amores (2015).

Antologia: Antologia Scortecci (2002); Voo Independente (AGEI 2002 a 2009); Tempo Definido (2003); Tempo de Poesia (2003); Livre Pensador (2003); 1ª Antologia Poética (2004); 2ª e 3ª Antologia Poética (2005 e 2006); Antologia Literária Virtualismo (2005); Roda-Mundo, Roda-Gigante (2004 a 2009);  Delicatta (2012); Poetas Em/cena (2014): Poesia em movimento (2016).

Organização de obrasGestão Escolar - Educação a Distância (Guaporé/RS. 2005); Hai Cais Antologia e Contos de Fadas Contemporâneos–Coletânea (E-book de alunos da Escola Maria Costa Marocco, Serafina Corrêa-RS, 2005); Psicopedagogia - Educação a Distância (Guaporé/RS e São Jorge/RS. 2006); Psicopedagogia - Educação a Distância 2 (Casca/RS. 2006).

Também, Leni Chiarello Ziliotto é autora da letra da música, Penso, que ganhou o primeiro prêmio como melhor letra no concurso: Sim, Guaporé Tem Talento, na comemoração do centenário de fundação do município.

Atualmente, além da literatura, a guaporense Leni se dedica a outras artes, como o Cinema, coordenando a produção de curta metragens produzidos por jovens. Os últimos três curtas produzidos concorrerão no Festival de Curta Metragem de Mato Grosso durante os dias 13 a 16 de março, em Primavera do Leste.

Além do cinema, Leni organiza e promove exposições de artes plásticas, tendo já em seu currículo as seguintes exposições: Na Semana do Município – Sinop/MT, no Centro de Eventos Dante de Oliveira, em setembro de 2016: a) Interculturalidade e b) Pioneirismo; Na Semana Mato Grosso 2016 , em Sinop/MT, maio de 2016: a) Colégio Regina Pacis - Interculturalidade e b) Escola Técnica de Sinop – Interculturalidade; Na Semana Pedagógica 2016, no município de Vera/MT, no Centro Cultural, em março de 2016:  a) As Cores e os Amores; Por ocasião do lançamento do Livro As Cores e os Amores na Câmara Municipal de Vereadores de Sinop/MT, em novembro de 2015: a) As Cores e os Amores

É uma trajetória literária significativa, sendo que todas as obras publicadas estão com suas edições esgotadas. Seu novo projeto é a obra O Brilho de Estelas Imortais volume 2 com previsão de lançamento para abril de 2017 em Sinop/MT e a coletânea Poemas Vivos, com previsão de lançamento para o início de 2018.

Não há dúvidas do merecimento de sua indicação para uma cadeira em academia literária, o que ocorreu dia 4 de março deste ano. A guaporense Leni Chiarello Ziliotto tomou posse na Academia Sinopense de Ciências e Letras (ASCL), ocupando a cadeira de nº 21. Patrono – Érico Veríssimo.









A ACADEMIA
A Academia Sinopense de Ciências e Letras foi criada oficialmente no dia três de novembro de 2008. No dia 23/07/14 realizou-se a solene posse dos catorze acadêmicos atuantes na entidade. O primeiro estatuto já previa quarenta cadeiras o que foi mantido com a reforma em 2016, sendo oito para pessoas dos municípios do norte de Mato Grasso.

Em dezesseis de setembro de 2015 a ASCL foi declarada de utilidade pública pelo decreto 208/2015. Em dezesseis de dezembro do mesmo ano, a ASCL recebeu a CESSÃO DE USO DE IMÓVEL PÚBLICO (Lei municipal 2251/ 2015), do imóvel R-39-B7, com extensão de 2.006,90 m2, situado à Avenida Alexandre Ferronato, perto do Centro de Eventos Dante de Oliveira, em Sinop – MT.

Os acadêmicos da ASCL são:
Cadeira nº 1 Ireneu Bruno Jaeger
Cadeira nº 2 Josemar Nunes,
Cadeira nº 3 Luiz Erardi F. dos Santos,
Cadeira nº 4 Bernadete Crecêncio Laurindo,
Cadeira nº 5 Adélia Stédile de Matos,
Cadeira nº 6 Rosana de Barros Varella,
Cadeira nº 7 Jéferson Odair Diel,
Cadeira nº 8 Jaqueline Sandra Diel,
Cadeira nº 9 Marieta Prata de Lima Dias,
Cadeira nº 10 Klaus Henrique Santos,
Cadeira nº 11 Cristiane Oliveira,
Cadeira nº 12 Pe. Ramiro Perotto,
Cadeira nº 13 Fábio Kawati
Cadeira nº 14 Vinicius Dallagnol Reis.
Cadeira nº 15 - Dolores Flor da Cruz Leite
Cadeira nº 16 - Sérgio Alessandro Soares Fragoso  
Cadeira nº 17 - Roberta Martins Nogueira
Cadeira nº 18 - Evaldo Martins Pires    
Cadeira nº 19 - Brenda Carvalho
Cadeira nº 20 - José Lucas Valeriano Lisboa
Cadeira nº 21 – Patrono Érico Veríssimo - Leni Chiarello Ziliotto