sexta-feira, 11 de agosto de 2017

POR QUE POESIA?

MAIS UM PROJETO INSCRITO NA VIRADA SUSTENTÁVEL EM SINOP-MT


TÍTULO
POESIA NO DIA A DIA

TEMA
Promoção da leitura, da literatura e dos escritores sinopenses.

PROPONENTE
Leni Chiarello Ziliotto

APRESENTAÇÃO

Impressão de poemas ilustrados pelos artistas plásticos Adriano Figueiredo Ferreira e Maria Amélia Arroque Gheller.

A impressão será em telas medindo 1,2 X 1,6, mais pé de 0,6, no material lona, afixadas em estruturas de metalon antiferrugem e expostas entre os pilares da orla verde que contorna a UNEMAT, na Av. Julio Campos, sentido Aeroporto, onde há uma pista para caminhada e academia de ginástica a céu aberto.

Serão expostas 21 telas contendo poemas e pinturas que interpretam os poemas. As telas serão afixadas em estrutura de metal entre os pilares da orla verde que contorna a UNEMAT, na Av. Julio Campos, sentido Aeroporto.

A exposição ficará por um ano, podendo, depois desse período, ser itinerante nas escolas e em instituições que interessar promover a cultura, a leitura, a literatura e as artes plásticas.

OBJETIVOS
  1. Promover a literatura dos escritores locais;
  2. Promover artistas de diferentes artes, literatura e artes plásticas;
  3. Oportunizar ao povo de Sinop uma programação cultural sem custo;
  4. Favorecer a formação de plateia cultural;
  5. Quebrar a mesmice de espaços públicos, inserindo elementos culturais de beleza e encanto;
  6. Contribuir com a cultura e as artes em Sinop.


JUSTIFICATIVA

A literatura brasileira precisa de incentivo para figurar no cenário de conjuntura globalizada, e uma das maneiras de apoiar, é começar pelos escritores locais. Em Sinop temos a Academia Sinopense de Ciências e Letras com 21 acadêmicos, ou seja, escritores de gabarito no nível de “Academia de Letras”.

Além disso, sem negar a realidade, a poesia no dia a dia pretende oferecer a possibilidade de uma leitura do belo, da esperança, da amorosidade, afagando a alma humana entristecida com tantas notícias de violência, corrupção, guerras. As telas com poemas e artes plásticas a céu aberto, será também uma oportunidade para provocar plateias para a cultura, promover a leitura e o apreço ao belo, num momento de conturbadas crises políticas no mundo e no Brasil.

É uma possibilidade de manter viva a esperança dos jovens para a possibilidade de futuro, e de futuro de paz.


EFEITO MULTIPLICADOR

Público em geral que circula diariamente pela orla verde da UNEMAT, fazendo caminhadas e/ou indo ao trabalho, serão multiplicadores naturais. Acrescenta-se a possibilidade de escolas organizarem visita guiada com seus alunos e estudo da exposição, dos artistas, das obras. Esse projeto apresentará como produto cultural poemas e pinturas em telões expostos em espaço público, para apreciação de todos, sem custo. A caminhada pelo local com certeza sairá da rotina por um tempo, promovendo, além da atividade física, a atividade cultural.  


POESIA NO DIA A DIA


Telas contendo poemas e pinturas que interpretam os poemas.
As telas serão afixadas em estrutura de metal entre os pilares da orla verde que contorna a UNEMAT, na Av. Júlio Campos, sentido Aeroporto, em Sinop-MT.

A exposição ficará por um ano, podendo, depois desse período, ser itinerante nas escolas e em instituições que interessar promover a cultura, a leitura, a literatura e as artes plásticas.

























segunda-feira, 7 de agosto de 2017

UMA FLORESTA, UMA MENINA E UM MANEQUIM

PROJETO INSCRITO 

NA VIRADA SUSTENTÁVEL 

SINOP-MT


TÍTULO
LITERATURA AO ALCANCE DE TODOS


TEMA
Promoção da reflexão sobre a identidade como um processo histórico, onde se incluem memórias do passado, situação presente e projeções para o futuro: “Uma floresta, uma menina e um manequim”.


PROPONENTE
Leni Chiarello Ziliotto


APRESENTAÇÃO
Série de livro infantil

- traduzido para o espanhol;

- gravado em áudio;

- em formato eletrônico para ser divulgado nas redes sociais;

- apresentado em telas a céu aberto;

- impresso em papel para ser distribuído nas escolas.

O enredo é a trajetória de uma menina da roça (Fase 1) que vai morar na cidade para estudar, onde deve superar o medo de manequim de loja (Fase 2). Ainda criança, a família se muda para uma região de desbravamento (Fase 3). Após o relato da viagem, a menina vive diversos mundos (entre o que deixou e o que encontrou), ressaltando a importância das florestas, o papel das mulheres e a coragem dos desbravadores (Fases 4 e 5).


OBJETIVOS

GERAL
1.   Promover o desenvolvimento integral da pessoa humana através do pensar o saber sobre si mesmo e sobre o conhecimento historicamente construído.


ESPECIFICOS
1.   Contribuir para o desenvolvimento da leitura dinâmica, pensar sobre o que leu e agir com discernimento;

2.   Oportunizar o estudo além das notas;

3.   Favorecer a alteração de paradigmas a fim de alcançar o sucesso;

4.   Inspirar crianças, jovens e adultos a fazer o que querem para concretizarem sonhos;

5.   Oferecer conteúdo sobre o desbravamento do norte mato-grossense;

6.   Provocar a valorização da história e o cuidado com o ambiente;

7.   Participar da sociedade como sujeito no seu desenvolvimento cultural e sustentável;

8.   Desenvolver ideias na forma de texto com linguagem universal, para todos os públicos;

9.   Trabalhar a imaginação através das palavras, explorando o infinito universo das crianças;

10.               Contribuir para a promoção da leitura e da literatura brasileira.


JUSTIFICATIVA
A leitura de um livro em telas distribuídas por uma trilha, além de promover a movimentação do corpo, a oxigenação das células, a saúde e o bem estar, encanta o processo pedagógico para alunos e professores pelo “diferente”, como também promove a imaginação a todos os públicos. 

Além disso, perceber a importância e a crescente necessidade de atender a todos como condição de cidadania faz com que essa proposta signifique uma grande contribuição para a formação de uma sociedade democraticamente cidadã.

Uma vez que o projeto prevê o acesso à leitura e à literatura também a minorias, a pessoas que não tem o hábito da leitura, a pessoas que leem diariamente mensagens de redes sociais, enfim, a todos, esse projeto contempla o acesso universal a bens culturais.

O livro a céu aberto, de livre acesso, potencializa o hábito de leitura e promove a imaginação do leitor. Várias atividades pedagógicas poderão advir dessa ação.

Cabe ressaltar que os benefícios não se limitam ao público infantil, promovendo a cultura da leitura e do apreço às artes, bem como a formação de plateias em todas as idades. 


EFEITO MULTIPLICADOR
A apresentação da proposta aos ilustradores, tradutores, arquitetos, patrocinadores e editores, já repercutiu positivamente. Confiantes na valorosa contribuição para o mundo da leitura, da literatura, da arte plástica e da formação de plateias para apreciação de cultura, atingindo universos diversos, acredita-se que o desenvolvimento cultural transcenderá as fronteiras do local.

Os participantes da equipe e o público alvo já serão, por si, potenciais multiplicadores da proposta, até porque as opções são diversas, como a forma eletrônica, a forma impressa em papel, gravado em áudio e a trilha com o livro impresso em telas, oportunizando o envolvimento de toda a comunidade.

Com bastante ênfase, o habitat educacional local e da região tem, nessa proposta, a oportunidade de ampliar fazeres pedagógicos significados através da cultura e da arte.

O envolvimento de uma equipe formada por profissionais de diversas áreas, movimentará a economia local, desde ilustradores, gráficas, editoras, tradutores, interpretes, contadores de histórias, arquitetos, poder público com a autorização da ocupação dos espaços, escolas, enfim, muito além do escritor apenas. 

Esse projeto apresentará como produtos culturais: livro impresso, livro eletrônico, livro em áudio e livro em telas, que é o livro lido e apreciado a céu aberto, em uma caminhada que também contribui para a saúde e o bem estar físico e emocional da pessoa.


DIVULGAÇÃO
Além das redes sociais, especialmente a versão eletrônica, a divulgação será feita na mídia local e, através de folder e visitas nas instituições de ensino, bem como em órgãos públicos e entidades em geral.

A trilha de cada fase será apresentada a toda a toda a comunidade sinopense em data e horário a ser definido após a completa instalação das telas nos lugares estipulados.


CONTRAPARTIDA
- Envolvimento de vários profissionais num projeto literário/cultural.

- Oficinas nas escolas para a “promoção da leitura” e a “formação de plateias culturais”.

- Distribuição gratuita de exemplares impressos e gravados em áudio a todas as bibliotecas e escolas de Sinop.

- Acesso a baixo custo a nível internacional pelo formato eletrônico.
- Livre acesso ao livro ao ser exposto em painéis a céu aberto.

- Promoção da saúde e bem estar ao provocar caminhadas nas trilhas literárias que serão de livre acesso.






domingo, 6 de agosto de 2017

VEM AÍ ... # MARIA JOANA



CAPA
UMA FLORESTA, UMA MENINA E UM MANEQUIM

A FARTURA
  

VOLUME 1

Primeiro livro infantil de

Leni Chiarello Ziliotto


Era uma vez uma menina. O nome dela era Maria Joana.


[...]


Esta é a Maria Joana, a protagonista de nossa história. E que ainda vai viver tantas outras venturas e descobertas. Puxou mais ao pai, o Seu Abeo, que tem cabelo escuro e encaracolado.  






Maria Joana tinha duas irmãs. 



Maria Elizabete, a irmã mais velha de Maria Joana, tinha traços do papai Abeo e da mamãe Rita. Cabelo ruivo, nem tão liso, nem tão encaracolado, as pessoas dizem, levemente ondulado. Lindo.




E esta é a caçula, a Maria Eduarda. Ela, além de ser a cara da mamãe, também gosta de bichos de pelúcia, em especial um “Bambi”. Mas falarei mais dela em uma próxima aventura. 




[...]


Pois bem, a primeira vez que Maria Joana foi à cidade ela se assustou com os manequins de loja. Eles ficavam ali de pé encarando você, com aquele olhar parado, não piscavam nunca, parecia que eles queriam dizer alguma coisa e a voz não saía.

Quando Maria Joana ia à cidade com seus pais e suas irmãs, ela passava longe das vitrines das lojas, e se precisassem comprar roupas para ela, iam a uma loja que não havia manequins nas vitrines.

Maria Joana até se imaginou um manequim de loja. Pensou em pessoas entrando e saindo da loja e ela lá na vitrine, parada, sem piscar, sem falar. E ela não se imaginava como criança, mas sim como adulta, como sua mãe, a Dona Rita. Porém, com o cabelo diferente do da mamãe.  



Mamãe Rita tinha o cabelo claro e liso, e ela tinha o cabelo escuro e todo encaracolado, como o do papai Abeo.



                                                            [...]



Está curioso para saber toda a história de Maria Joana?
Eu também. Mas, precisamos esperar até setembro quando o livro será lançado em telas, a céu aberto, numa trilha gostosa de fazer, no Condomínio Aquarela Brasil, em Sinop, Mato Grosso. 

E para quem não mora em Sinop?

Então!!! Venha a Sinop. Você vai gostar da cidade, da história de Maria Joana e de outras coisas mais.

Aguardo você.
Maria Joana também.

Ah! Quem é a ilustradora?
É a Arte Educadora Adriana Maria Cofcewicz. Ela já ilustrou outros livros da escritora Leni.  

Eu amei os desenhos. E você?
Então, deixa seu comentário aí.

Esta é a contracapa do livro.




quarta-feira, 26 de julho de 2017

Dia dos Avós 2017

Amor incondicional.

Família, 
olhar para encaminhar 
a evolução de cada um.

Puro amor aos netos 


Artur e André



Davi e Antonela


Beijos!  



domingo, 4 de junho de 2017

LANÇAMENTO DO LIVRO

O BRILHO DE ESTRELAS IMORTAIS
DESBRAVAR A TERRA E PROMOVER A VIDA

Dia 25 de maio de 2017
Escola de Artes – Sinop-MT